Seja Bem vindo!
Política

Chamado de bandido publicamente secretário de habitação lança nota de repúdio contra vereador

10 de abril de 2019
Curta e Compatilhe

A PEDIDO

Nota de Repúdio e Defesa

No dia 08 de abril na sessão ordinária da Camara de Vereadores de Santo Ângelo, o Vereador Marcio Antunes – PP durante o seu pronunciamento no Pinga Fogo, me ofendeu duramente e incisivamente me chamando por diversas oportunidades de “Bandido”.

Ofensas fortes e totalmente infundadas sobre minha pessoa, me motivaram a não me silenciar, a não aceitar falácias a meu respeito.

Depois de tudo isso, tenho algumas considerações a fazer:

Bandido é um indivíduo que pratica atividades criminosas.

Tenho 16 anos de vida pública com uma conduta exemplar e ilibada, e, que eu saiba, não tenho nenhum processo por ter cometido algum crime, ou seja, bandido eu não sou.

Aqui vou citar alguns exemplos:

– Bandido eu seria se desviasse materiais de construção para minha obra particular;

– Bandido eu seria se vendesse casas ou terrenos públicos

– Bandido eu seria se cobrasse algum tipo de propina para entregar algum bem público que seria de direito do beneficiário;

– Bandido eu seria se desviasse e vendesse gêneros alimentares que seriam para famílias carentes, como arroz, feijão e leite em pó, por exemplo.

Eu, não fiz nada disso, muito pelo contrário, defendo com unhas e dentes a transparência das minhas ações públicas, combatendo diariamente a corrupção.

Sempre fui muito verdadeiro e transparente, e não tomo nenhuma decisão importante na secretaria sem ter algum parecer jurídico da Procuradoria Geral do Município, que me dá segurança e a certeza de que estou fazendo as coisas dentro da legalidade.

Fui chamado de bandido por cumprir a Lei. Fui recomendado pela PGM por um apontamento do Ministério Público de irregularidade. Um imóvel foi doado de forma irregular, que inclusive já foi vendido pelos beneficiários, inclusive com contrato de compra e venda. Absurdo em cima de Absurdo.

Não sou contra doações, mas tem que serem feitas com responsabilidade, legalidade e transparência. Temos que começar a moralizar essas questões. Inúmeras pessoas que foram ajudadas já venderam imóveis, terrenos, dentre outros, e isso por muitas vezes com a ajuda de gestores públicos. Temos que acabar com isso de uma vez por todas.

Desde que assumi em dezembro de 2017 até agora, já se vão mais de 1 ½ ano. Um dos meus compromissos foi o de minimizar os processos ajuizados na questão habitacional contra o município de Santo Ângelo. A média anual, antes do ano de 2017 era de 45 processos por ano contra o município, ou seja, que deixaram de ser atendidos. Tenho muito orgulho de ter dado baixa nesse ano e meio em mais de 60 processos judiciais antigos e somente 3 nesse período foram ajuizados.

Isso é otimizar a gestão, e o que eu recebo em troca? Ser chamado de bandido.

Isso não é fazer oposição, isso é desrespeitar a mim e a toda a minha família. Isso é desrespeitar os servidores da secretaria que lutam diariamente para fazer o melhor.

Ninguém é obrigado a concordar com o método de trabalho do outro, aceito críticas e questionamentos naturalmente, até porque sou uma pessoa pública, e isso é do jogo. Agora acusação de ser bandido é grave, ou melhor, é gravíssimo.

Não vou conseguir atender a todas as famílias que necessitam, mas os casos mais urgentes são diariamente avaliados e corrigidos. Temos 4.500 famílias em nosso roll de atendimento e os recursos são limitados, portanto, vamos fazendo o melhor e dando o nosso máximo para fazer a diferença na vida das pessoas.

Tenho o maior respeito pela oposição e acho que isso se faz necessário para a democracia, mas repudio qualquer ação como essa desse cidadão que deveria dar exemplo de cidadania.

Agradeço ao apoio que recebi de inúmeras pessoas, que realmente me conhecem, conhecem minha família, meus amigos inclusive pessoas da oposição que também repudiam todo e qualquer atitude dessa forma desse vereador, até porque foi eleito por uma sigla grande que é o Partido Progressista e que eu tenho o maior respeito, e essas coisas com certeza mancham a instituição.

Mesmo profundamente triste e abalado, sigo firme e forte o meu trabalho, as minhas convicções, ajudando a combater a corrupção que impera nesse país. Sou servidor público e sirvo ao público e não me sirvo dele.

Abraço

Rodrigo Flores – Secretário Municipal de Habitação

A imagem pode conter: texto
  •  
    81
    Shares
  • 81
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta