Seja Bem vindo!
Evento

Central do Bem: dois anos fazendo e espalhando o bem

18 de junho de 2020
Curta e Compatilhe

Projeto solidário do Governo Municipal completa seu segundo ano com aumento no número de famílias cadastradas devido à pandemia

Nesta quinta-feira (18), um projeto inovador e com resultados altamente expressivos completa seus dois anos de atuação. A Central do Bem trouxe para Santo Ângelo um jeito novo de atender pessoas em situação de vulnerabilidade social, com um olhar mais terno, mais inclusivo e mais abrangente do que simplesmente realizar campanhas de repasses de donativos.

A nova forma de atender a população carente é aprovada não só pelos santo-angelenses, mas já se tornou parâmetro para a implantação de projetos semelhantes em outros municípios do Estado e ganhou repercussão internacional, sendo destaque em seminário de empreendedorismo social na Argentina.

E nessa época de pandemia, o alcance da Central do Bem se tornou ainda mais abrangente, ampliando o número de famílias cadastradas e distribuindo mais de oito mil máscaras gratuitamente para a população.

Idealizadora do projeto, a primeira-dama Juliana Barbosa comenta que a ideia da Central do Bem surgiu justamente da constatação da necessidade de que a parcela mais vulnerável da sociedade merecia um atendimento especial, mais humanizado. “Quando essas pessoas chegam para receber o auxílio é porque de alguma forma elas já foram negligenciadas em outras situações. E o nosso conceito é de algo mais abrangente que simplesmente alcançar uma doação, é criar um elo, fazer com que aquela pessoa se sinta protegida, que a rede de atendimento, com outros órgãos, como Conselho Tutelar, Secretaria de Saúde, etc., funcione como um todo”, analisa.

PANDEMIA

Com o aumento da procura devido à pandemia, são cerca de 500 atendimentos semanais. Todos os protocolos de higienização e cuidados são tomados. Aliado a isso, existe o aumento natural da procura por roupas, calçados e cobertas devido ao período com dias mais frios. “No inverno já é registrado um aumento que chega a 30% na demanda das doações e com a pandemia isso se potencializou”, argumenta Tassiana Ribeiro, coordenadora da Central do Bem.

Outra constatação é de que com a pandemia, foram cadastradas cerca de 500 novas famílias. Agora, em torno de 4,4 mil famílias estão cadastradas na Central do Bem.

Um trabalho específico montado nesse período de pandemia é a fábrica de máscaras montada na Central e nos dois Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) dos Bairros Sepé e Pippi. Os moldes são feitos na Central do Bem, onde costureiras voluntárias também fabricam as máscaras, além do trabalho realizado nos CRAS e nas residências de voluntários. São mais de oito mil máscaras distribuídas, entre as confeccionadas pelo grupo de voluntários e as doadas por empresas e instituições. Além disso, cerca de 500 máscaras foram entregues na Central por populares. “Pessoas da comunidade que chegam aqui com cinco ou dez máscaras e deixam para que sejam repassadas às pessoas que atendemos”, afirma Juliana Barbosa.

ALIMENTOS

Quanto à distribuição de alimentos, a Central do Bem organizou a campanhas de arrecadação e é realizado o repasse para a Secretária Municipal de Assistência Social, onde são distribuídos aos cadastrados dos programas do município. Os aportes de alimentação, a pedido da primeira-dama Juliana Barbosa são realizados as segundas, quartas e sextas.

AÇÕES ESPECÍFICAS

A solidariedade é exercida durante todo o ano na Central do Bem, porém, em algumas datas e situações específicas são montadas campanhas especiais. São os casos da ação que recebe e destina materiais escolares, na Páscoa, que neste ficou prejudicada pela pandemia e no Natal, onde milhares de crianças se reúnem para receber brinquedos de excelente qualidade distribuídos de acordo com a idade e o gênero, além de participar de uma grande festa. Iniciativas como o casamento coletivo e o debut dos sonhos também são marcantes para as famílias beneficiadas.

GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA

Neste momento, além das atividades rotineiras de doações, a Central do Bem está organizando uma campanha sobre a gravidez na adolescência. Conforme a primeira-dama Juliana Barbosa, foram identificadas 62 gestantes com idade entre 13 e 16 anos na relação de pessoas cadastradas na Central.

Diante disso, foi organizada uma ação que montará kits maternidade para essas gestantes. Esses kits serão compostos por roupas, cobertas, fraldas e produtos de higiene para serem entregues às gestantes.

ESPALHANDO O BEM

Juliana Barbosa avalia que os resultados positivos da Central do Bem são fruto da união e competência das pessoas envolvidas e do trabalho articulado, especialmente com as secretarias de Assistência Social e de Meio Ambiente, que estão mais ligadas, mas abrangendo todas as demais secretarias e órgãos do Governo Municipal. “Em especial com o trabalho dos nossos voluntários, mas de forma muito significativa com a veia solidária dos santo-angelenses. Sem as doações da nossa comunidade, das nossas empresas, indústrias e instituições, seria impossível atender a demanda. Na Central do Bem não se compra nada, tudo é doado. Recebemos as doações e, se for preciso, consertamos, arrumamos, limpamos, higienizamos, tudo para que seja entrega em perfeitas condições e com a dignidade que aquela pessoa que está ganhando merece”, ressalta.
A primeira-dama comenta ainda que vê com muita alegria que esse sentimento de trabalhar em prol dos mais necessitamos tem sido replicado por outras iniciativas. “Desde a implantação da Central do Bem, outros projetos surgiram e me alegra saber que esse instinto solidário siga florescendo, que a mensagem que usamos, de que fazer o bem faz bem, esteja se multiplicando. Todos esses projetos se completam, não competem entre si. O importante é ajudar a quem precisa e isso está sendo feito”, acentua.

O prefeito Jacques Barbosa afirma que a Central do bem é um marco no atendimento à comunidade e recebe o reconhecimento da população. “É um conceito que acima de tudo respeita a pessoa que se encontra em situação de vulnerabilidade social, com um atendimento abrangente, mas humanizado, cumprindo o compromisso de garantir essa atenção diferenciada e permanente a quem realmente necessita”.

DOAÇÕES

A Central do Bem funciona de segunda a sexta-feira das 8h30min às 11h30min e no turno da tarde das 13h30min às 17 horas, na Rua São Carlos, 1132. As doações podem ser entregues no local ou pode entrar em contato pelo telefone (55) 3313-5514.

Texto: Hogue Dorneles
Fotos: Fernando Gomes

Deixe uma resposta