Seja Bem vindo!
Cultura

Feira do Livro em Santo Ângelo propõe reflexão sobre a importância da leitura

22 de outubro de 2019
Curta e Compatilhe

Evento segue até sexta, 25, na Praça Pinheiro Machado juntamente com a segunda Parada Literária
Um espaço de convivência, de difusão da cultura e que agrega valores de cidadania por meio da leitura. Essa é a Feira do Livro de Santo Ângelo, que teve a sua nona edição aberta na manhã desta terça-feira, 22.

A promoção é cultura ao alcance de todos, pois retornou à Praça Pinheiro Machado e as diversas atrações da programação são gratuitas. Os pronunciamentos do ato de abertura destacaram que o incentivo à leitura, com a formação de novos leitores, é fundamental para a construção da identidade do povo santo-angelense.

A Feira do Livro e a II Parada Literária se desenvolverão na praça até a sexta-feira, 25, numa promoção do Governo Municipal, por meio das secretarias de Educação e da Cultura, apoio da Secretaria do Meio Ambiente, SESC Santo Ângelo, Academia Santo-Angelense de Letras (ASLE) e da iniciativa privada.

O secretário municipal de Educação, Valdemir Nanaco Roepke, afirmou que o incentivo à leitura é uma ação que está fazendo a diferença nas escolas do Município. Os professores são incentivados e trabalham a leitura em diversas formas. “Dessa ação surgiu a Parada Literária, que está em seu segundo ano e com resultados expressivos”.

Nanaco ainda destacou o retorno da Feira à praça e os R$ 30 mil em vale-livros distribuídos para os alunos da rede municipal. “Os alunos vão adquirir os livros, são cerca de dois mil exemplares. Depois, a troca dos livros é estimulada e o alcance se torna ainda maior”.

Neusa Cavalheiro, secretária municipal de Cultura, disse que o retorno da Feira à praça era uma reivindicação da comunidade e isso foi possível por meio de parcerias como a efetivada com o SESC e da ação conjunta das secretarias municipais. “A feira desperta valores como a cidadania e a preservação do patrimônio cultural, pois as crianças vão conviver com isso na feira, despertando a importância da valorização desses componentes.” A secretária ainda falou sobre os investimentos feitos na Biblioteca Pública Municipal Policarpo Gay, com atendimento diferenciado, funcionamento aos sábados e ampliação do acerto. “O prefeito Jacques Barbosa acredita que cultura é fundamental para o desenvolvimento social e humano e nós investimos para despertar o interesse e possibilitar a leitura a todos”.

O patrono da Feira do Livro, defensor público, poeta e escritor, membro da Academia Santo-Angelense de Letras (ASLE), Waldemar Menchik Júnior, disse estar emocionado e honrado com o convite. “É uma dádiva que não se pede, não se exige, só se agradece. Sei que é fruto muito mais da bondade de quem escolheu do que mérito do escolhido”.

Ele também reforçou a necessidade de incentivar a leitura. “Livros e escolas possuem papel transformador. Através da leitura compreende-se melhor o mundo e entende-se o outro. Quem lê livros, revistas, jornais, aprenderá a discernir sobre informações distorcidas que invadem as redes sociais, que levam a discussões, destruindo amizades e comprometendo o futuro. Dizer que o livro é caro é um erro. Caro é formar uma nação de analfabetos”.

Waldemar Menchik Júnior parabenizou o Governo Municipal pela iniciativa da Feira, pelo retorno à praça e pelo entendimento da importância da cultura. Finalizou com a frase que escreveu especialmente para a Feira do Livro: “A leitura é oração. Escrever é bênção divina. Bibliotecas, santuários. Mas é o mestre que ilumina”.

O prefeito Jacques Barbosa salientou que com a promoção do evento, o Governo Municipal honra seu compromisso de facilitar o acesso da população à leitura. “O Governo de Inovação prioriza o acesso à cultura em todas as suas formas e expressões a todas as camadas da população, por isso a realização da Feira do Livro ao ar livre, mais próxima da comunidade”.

Jacques falou ainda da valorização dos professores. Citou que o Governo Municipal fez esforços para recuperar o passivo de R$ 3 milhões que os professores municipais não estavam recebendo do piso nacional. “Além da recuperação desse passivo, servidores como as cozinheiras recebiam abaixo do salário mínimo. Também realizamos a recuperação. Não é o ideal, mas foi um passo importante. Outras ações estão sendo desenvolvidas, como no campo tecnológico. Um exemplo disso é o projeto de troca dos quadros negros pelas lousas digitais, ações de educação fiscal, empreendedora, de sustentabilidade que chegam aos nossos alunos. Valorização da educação partindo da figura essencial e insubstituível do professor”.

PRESENÇAS

Também estiveram presentes, o vice-prefeito Bruno Hesse; Maurício Loureiro, presidente da Câmara de Vereadores; Luciano Maso, gerente do SESC; tenente-coronel José Jornada, representando o CRPO Missões; tenente Andréia da Silva, representando o comando do 7º RPMon; Rosani Stocker, presidente do Sindicato dos Professores Municipais; Jussara Graffunder, idealizadora da Parada Literária; secretários municipais Francisco da Silva Medeiros (Meio Ambiente), Luis Voese (Fazenda), Marco Nunes (Geral), José Carlos Ferraz (Planejamento), Vando Ribeiro de Souza (Turismo) e Adolar Queiroz (Obras); e membros da Academia Santo-Angelense de Letras (ASLE).

A programação segue até sexta, 25, com diversas atrações e a Parada Literária terá contações de histórias e mediação de leitura, realizadas em diferentes estações literárias organizadas pelas próprias escolas municipais, com a participação de alunos da rede de ensino de Santo Ângelo e abertas ao público.


Texto: Hogue Dorneles
Fotos: Fernando Gomes

Deixe uma resposta