Seja Bem vindo!
Política

Justiça condena prefeito gaúcho que expulsou a sua vice de gabinete

4 de dezembro de 2019
Curta e Compatilhe

Acatando pedido do MP (Ministério Público) em ação civil pública, a Justiça de Santa Cruz do Sul condenou o prefeito da cidade, Telmo Kirst (PSD), a pagar multa de cerca de R$ 50 mil, por improbidade administrativa, por ter expulsado a vice-prefeita, Helena Hermany, do gabinete dela.

Conforme a ação, assinada pelo promotor de Justiça Érico Barin, o prefeito determinou à vice que desocupasse a sala que ocupava desde 2013 como secretária da Habitação – Helena acumulava as duas funções e, em março deste ano, Telmo Kirst a exonerou do cargo.

Ela foi comunicada da decisão pelo secretário municipal de Administração, Vanir de Azevedo. O prefeito não designou nenhuma outra sala e ordenou que a vice ficasse em casa para ceder o espaço para a nova secretária sob pena de represálias políticas. Ela, então, ficou sem ter local para trabalhar entre 19 de março e 1º de abril.

Procurado pela vice-prefeita, o MP solicitou ao prefeito que disponibilizasse um novo espaço para ela, o que aconteceu apenas dois dias depois da solicitação. O MP havia solicitado a perda da função pública do prefeito, o que não foi atendido pela Justiça.

“A decisão judicial, após a análise de todas as provas, condena o prefeito Telmo por improbidade administrativa e aplica multa de quase 50 mil reais. Mas não somente isso: a sentença confirma um dos atos mais tristes que passei na minha vida, pois além de uma expulsão indigna, jamais vista na história de Santa Cruz do Sul, reflete a ingratidão por uma parceria política e principalmente amizade pessoal de décadas. Ao contrário do que diz o prefeito, não há nada a comemorar”, afirmou Helena em nota.

RDFOCO

Deixe uma resposta