Seja Bem vindo!
Educação

Projeto Danças Circulares Sagradas completa um ano na URI Santo Ângelo

6 de maio de 2019
Curta e Compatilhe

O grupo de Danças Circulares Ciranda Pontos de Luz, coordenado pelos professores Focalizadores de Dança Circular, Márcia Betana Cargnin (Enfermagem) e Rodrigo José Madalóz (Educação Física), completou em abril um ano de atividades no Câmpus da URI de Santo Ângelo. Em comemoração, foi organizado dia 22 de abril, um Baile Circular para os participantes do grupo e seus convidados.

O grupo realiza suas atividades às segundas-feiras a partir das 18h, na sala dos espelhos, no Ginásio de Esportes da Universidade. A participação é gratuita e aberta à comunidade local e regional, bem como aos colaboradores da Instituição, não sendo necessária a realização de inscrição. Desde sua implantação, o grupo já recebeu mais de 50 participantes.

Indicada para todas as idades, a Dança Circular é uma prática integrativa que passou a fazer parte da lista de Práticas Integrativas e Complementares (PICS) ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde 2017, por meio da Portaria nº 849/2017.

O projeto teve início em abril de 2017, com a intenção de trabalhar a prática integrativa dentro da universidade e oferecer essa modalidade à comunidade local.

O movimento de Danças Circulares Sagradas iniciou na década de 70 como uma forma de resgatar a ancestralidade da dança. Bernhard Wosien, considerado pai das Danças Circulares observou que a dança folclórica estava perdendo sua essência, reduzindo-se apenas a apresentações artísticas, geralmente a turistas, motivando-o a promover esse resgate.

Os povos antigos usavam a dança para praticamente todos os eventos da vida de uma comunidade: casamento, nascimento, morte, início e fim de períodos de colheita, nas conquistas e derrotas, na troca de estações do ano. Elas podem ser ritualísticas, comemorativas, com música e passos vibrantes, assim como introspectivas e/ou meditativas, mais calmas e com passos mais lentos.

Estudos comprovam que a prática da Dança Circular traz benefícios à saúde física, mental e espiritual, favorece o sentimento de pertencimento, bem estar, relaxamento, respeito, coordenação motora, concentração e alegria. Contribui para a melhora de quadros de insônia, ansiedade, depressão e outras patologias.

Depoimentos de integrantes do grupo

“Adorei conhecer o Grupo de Dança Circular, os nossos encontros são valiosíssimos, nos inspiram a conhecer nosso interior e nos proporcionam uma conexão entre o eu e o outro. Aliamos o movimento do corpo, a meditação e a renovação das nossas energias. Gratidão.” A. K.

“Com a dança circular encontramos um espaço para aliviar o estresse, compartilhando com respeito o espaço e momento de nossos companheiros. Sou grata por me integrar a este grupo. Minha saúde mental também. Bjss.” J.P.L

“A dança circular faz ver e sentir os nossos antepassados, faz com que sua história se revele em nós e juntos olhamos para o futuro. Amo participar da dança circular e em especial da Ciranda Pontos de Luz, pois faz com que a gente se ilumine sendo pontos de luz no universo. Gratidão Márcia e Rodrigo, por disporem de seu tempo e conhecimento e gratidão à URI por dar este espaço. Que os anjos da dança cada vez mais nos animem. Gratidão” I. K.

“Quando fui convidada pelo Rodrigo para participar, fui porque adoro música e dança. Mas não sei cantar e nem dançar. Então fui para conhecer e aprender. E conheci a Marcia, o grupo. Só gratidão. Na dança me encontro com meu Eu Sou, com minha ancestralidade, sinto na roda a igualdade real entre as pessoas, somos o que somos sem máscaras. Na roda você aprende a deixar o tempo passar, pois se você errar o passo, no decorrer da dança você acerta. Os anjos da dança nos ajudam. Assim é a vida. Temos que confiar no poder supremo. Sinto cada vez mais meu corpo mais leve, ágil com movimento. E no final de cada encontro, há uma felicidade, uma alegria que vem de dentro, do alto. E perdura até o próximo encontro. Gratidão aos facilitadores Rodrigo e Marcia, ao grupo, à URI pelo espaço e gratidão aos anjos da dança. Amooooo.” Tita.

Deixe uma resposta